Cigré Brasil
Associados
Comitês de Estudos
Eventos

Documentos
Revista Eletroevolução
Newsletters
Notícias
Links
Vídeo Institucional
Fale Conosco
Mapa do Site


Como se logar?

21 de outubro de 2018
Carla Damasceno representou a mulher brasileira na engenharia no CIGRE Women in Engineering Forum 2018

No terceiro encontro do CIGRE Women in Engineering Forum, Carla Damasceno - membro do Comitê de Estudos B1 de Cabos Isolados e uma das organizadoras do I Fórum de Mulheres do CIGRE-Brasi - compôs o Painel de Experiências, ao lado da mediadora da mesa Khayakazi Dioka (África do Sul), Claire Lajo Ie-Mazenc (França), Alaa Fawzi Al Kiyumi (Goulf Coperativ Council) e Phillipe Adam, o secretário-executivo do CIGRE Internacional.

Em sua fala intitulada Women members in CIGRE, Status, Challengeso o secretário executivo do CIGRE comparou a participação feminina na instituição em 2017 e 2018 e mostrou que o número de mulheres em diferentes posições não mudou muito nesses últimos dois anos. Destacou que é preciso ser feito mais trabalho para tornar a base de dados CIGRE mais confiável e que o escritório central do CIGRE continuará apoiando a promoção de iniciativas, como a rede de fóruns WIE - Women in Engeneering ou a publicação de mais artigos sobre os eventos WIE nacionais e regionais através da mídia CIGRE (Electra, website e newsletters).

Nossa representante, Carla Damasceno destacou que as mulheres precisam investir em conhecimento contínuo e transformar barreiras e desafios em boas oportunidades para melhorar a si mesmo, sendo o CIGRE uma instituição importante para esse crescimento profissional contínuo, na medida em que é fonte importante de troca de conhecimento de especialistas de todo o mundo e de documentos com as melhores práticas e recomendações. 

Seguindo o princípio com o qual encerrou sua fala de que "você não precisa sempre saltar as barreiras, mas pode contorná-las", Carla Damasceno construiu uma carreira profissional de sucessos, dedicando-se por 33 anos à implantação de linhas subterrâneas de alta tensão na Light Serviços de Eletricidade S.A., ao lado da jornada caseira junto ao marido e seus dois filhos.

Formada pela UFRJ, onde também realizou a sua pós-graduação em Sistemas de Potência, Carla Damasceno hoje se dedica à consultoria técnica, incluindo o Escritório de Serviços e Projetos das Nações Unidas - UNOPS e ao MBA de Gestão de Pessoas da UFF, além da sua participação nas atividades do CIGRE, especialmente nas desenvolvidas pelo Comitê de Estudos B1 de Cabos Isolados e, mais recentemente, nas atividades voltadas a organização do Fórum de Mulheres do CIGRE.

Claire Lajo Ie-Mazenc, da RTE - Réseau de Transport d'Électricité, coordenadora da Women In Engeneering francesa, intitulou sua fala com a questão: “Por que a diversidade é realmente necessária em nosso mundo energético em rápida transformação?”. Segundo Claire Lajo ainda há poucas mulheres como gerente sênior ou especialista sênior em empresas de engenharia. Na sua perscpectiva é necessário aumentarmos a diversidade de gênero no setor elétrico, o que tem sido o foco da rede WIE francesa em seu trabalho de promoção da troca de experiências e de encorajamento das jovens engenheiras. Para Claire um sistema elétrico mais diversificado proporcionará maior criatividade, inovação e uma maior gama de habilidades na busca das melhores soluções de eficiência para as empresas. 

Alaa Fawzi Al Kiyumi, da Oman Electricity Transmission Company trouxe à mesa a sua perspectiva sobre a realidade do Oriente Médio e teceu considerações sobre O crescente papel de liderança das mulheres no Goulf Coperativ Council, comentando os fatores que tem desencorajado  as mulheres dali ao estudo da engenharia.

Como mostra dessa participação, ainda tímida, da mulher nas ciências e tecnologias, na sua região, Alaa levantou o fato de que apenas 9% dos associados do GCC CIGRE são mulheres. Certa das contribuições que as mulheres tem dado no campo das Ciências e da Tecnologia, Alaa Fawzi finalizou sua fala registrando acreditar que "grandes mulheres e grandes homens caminham lado a lado com oportunidades iguais para um futuro melhor".

O CIGRE Women in Engineering Forum 2018 reuniu mais de 220 mulheres e homens de concessionárias de energia, fabricantes e universidades de todo o mundo. Organizado pelo Grupo de Trabalho WIE, coordenado por Ruomei LI, do CSEE - Chinese Society for Electrical Engineering  e do CIGRE Internacional, o evento teve como tema gerador o convite a Inspirar, Motivar e Capacitar Mulheres Engenheiras.

Diferentemente dos anos anteriores, o Fórum de 2018  foi dividido em cinco sessões: Boas Vindas, Abertura, Diálogo, Sessão Interativa e Entrevista. A sessão de diálogo foi organizada por Marie HAYDEN, vice-presidente da Smart Wires e teve como tema gerador a pergunta sobre Como promover a participação das mulheres no CIGRE?

Michel Augnonnet, vice-presidente do CIGRE, Britta Buchholz, vice-presidente de Desenvolvimento de Negócios Globais da ABB, Klaus Kleinekorte, conselheiro da Amprion GmbH e Rannveig Loken, coordenador do CIGRE Study Committee B5 discutiram vários tópicos, como:

O que podemos fazer para aumentar a visibilidade das muitas mulheres bem sucedidas do CIGRE?

  Que iniciativas funcionaram em sua empresa que você incentivaria o CIGRE a adotar?  

Qual é o papel dos Comitês Nacionais e das empresas, nesse processo?.

Para mais informações sobre o CIGRE Women in Engineering Forum 2018, convidamos ao acesso a newsletter do CIGRE Internacional, aqui.

 



CIGRÉ-Brasil
13/9/2018